quarta-feira, 20 de julho de 2011

sunlight



sei de tua vida três linhas do sol

a fumaça de um dia amanhecido no meu parapeito
refletido imenso ao meu redor
sem vestígio algum, sem acento
o futuro
se esgueira
perplexo
na luz que causou essa cegueira

2 comentários:

O Impenetrável disse...

parabéns pelos poemas, encontrei um prazer aqui, quero voltar sempre.

abraço.

marie disse...

dodi, deixa eu confessar que acabei passando um tempão ausente? visual bacana! e as palavras, como sempre, acertando sem apontar. saudades ;)